04/12/10

Cerco na fronteira aos assaltantes de Chapada Gaúcha

            Policiais Militares de toda a região da 245 Cia PM,  Policiais do Meio Ambiente de Manga e a Polícia Civil de Montalvânia, também fizeram parte da Força Tarefa  para prisão  dos assaltantes que, no dia 03 de dezembro, fortemente armados com pistolas e fuzis, encapuzados e com fardas do Exército, invadiram a agência dos Correios de Chapada Gaúcha levando dinheiro, reféns e jóias.    
      Todos foram empregados, no adentramento às matas do cerrado, passando por estradas vicinais, e atravessando  diversos povoados, com o intuito de identificar e prender os assaltantes.  Uma  das estratégias era fechar toda a fronteira de acesso ao Estado da Bahia.
        A Delegacia de Polícia Civil de Montalvânia foi utilizada como ponto de apoio para definição das    estratégias utilizadas.
          O grupo avançado de fronteira Norte foi  coordenados pelo Capitão Evilázio e o Delegado de Polícia Civil Dr. Renato.                                             

       Durante toda a operação de cerco a fronteira, o bom relacionamento entre a Polícia Militar e Polícia Civil foi crucial para o êxito do serviço.
              O Comandante do Pelotão PM de Montalvânia/MG, Sargento Barbosa recebeu a todos empenhados, em um clima amistoso para início da jornada.
         A Polícia de Meio Ambiente também se fez presente, fornecendo além de viatura, seu efetivo, que já conhecedor da região, fez a diferença.                            
             Foram montadas guarnições com policiais  de várias cidades como  São João das Missões, Miravânia, Juvenília e Manga.                                               
          Foram efetuadas varreduras em toda a extensão rural  de Montalvânia até a região de Várzea Bonita, Município de Bonito de Minas, onde já encontravam-se  as equipes da sede do 30º BPM, Companhia de São Francisco e efetivos do 28º Batalhão de Unaí.                    
          A Operação de cerco foi executada com armamento pesado, uma vez que os assaltantes encontravam-se fortemente armados.                                                            
            Durante o trajeto, foi efetuado contato com a população, onde foram levantadas as necessidades prementes relativas à segurança local.                               





         O trajeto inóspito, região isolada, de difícil acesso, cravado em meio a morros e vales. A natureza ainda impera, tornando a travessia lenta e com cenas paradisíacas.                                                                          

         Durantes o assalto, os procurados fizeram oito reféns e na saída, houve uma troca de tiros com os policiais militares, acertando um carro da PM, não ferindo os militares.  A quadrilha conseguiu fugir levando cerca de R$ 3 mil da agência, objetos pessoais das vítimas, dois carros que haviam sido roubados e quatro reféns. Minutos após, os assaltantes soltaram os reféns na estrada de Januária/MG, cerca de três quilômetros do local do crime. 
        A quadrilha fugiu no sentido de Várzea Bonita, distrito de Januária/MG, onde os veículos roubados foram abandonados, e embrenharam-se na mata.
        O cerco  foi fechado na área, sendo que após mais um tiroteio, dois assaltantes foram presos e um foi morto. 
     As buscam continuam, e a Polícia Militar disponibilizou para apoio vários homens, viaturas e uma Aeronave.